Visitas do site:
Contador de visitas
Ligue o som do seu computador
PAULO DE FREITAS
   

COMPOSITOR

 

 

O COMPOSITOR PREFERIDO DAS "VOZES DE OURO DO BRASIL".

 

 

"AS VOZES DE OURO DO BRASIL"

 

 

CASCATINHA E INHANA.

 

Paulo de Freitas nasceu em Taubaté/SP aos 11/02/1930 e faleceu em São Paulo/SP aos 26/09/1957. Era filho de Manoel de Oliveira Freitas e Maria Ignácia da Motta Freitas e foi um importante compositor brasileiro. Com a morte de seu pai, muda-se em meados da década de 40 com sua família (mãe e três irmãos) de Taubaté (residia na Rua Edmundo Morewood) para São Paulo, onde começa a trabalhar para o sustento da família. Na Capital paulista, já desenvolvendo seus pendores artísticos e em companhia de seu primo Manoel de Freitas, dá início à sua carreira de compositor.

 

COMPOSITOR MANOEL FREITAS.

 

Residindo no bairro do Moinho Velho, mesmo bairro onde residiam Cascatinha e Inhana, mantinha estreita relação de amizade com a dupla, o que, de certa maneira, foi o ponto de partida para galgar o sucesso. Além de muito conhecido dos artistas das Rádios Record e Nacional de São Paulo, dentre eles, “Canarinho”, a dupla “Laranjinha e Zequinha”, o quinteto “Vagalumes do Luar”, o grande acordeonista “Angelo Reale”, o cantor “Cláudio de Barros” e a famosa dupla “Cascatinha e Inhana”, passa a compor.

A partir de 1954, apresenta para esta dupla que era considerada as “Vozes de Ouro do Brasil” e sensação da década, as letras “Desilusão”, “A Sombra da Outra” e “Capital da Terra Branca”, esta, em homenagem a Cascatinha, por ter iniciada sua vida artística em Bauru.

 

SEUS GRANDES AMIGOS

                 

              Canarinho             Laranjinha e Zequinha           Vagalumes do Luar                  Ângelo Reale                          Cláudio de Barros

 

Compôs ainda para a dupla Laranjinha e Zequinha as canções “Mãe Querida”, “Cai Balão” e “Baile do Seu Mané”. Por coincidência, faleceu no mesmo dia da visita que Cascatinha e Inhana lhe fizeram no Hospital de Clínicas em São Paulo, no dia 26 de setembro de 1957, à tarde.

 

 

Durante nossa convivência pude perceber o quanto foi maravilhoso. A bondade e a estima eram seus predicados mais marcantes. Anos após seu passamento, soube, através de seus familiares, que se tratava de uma pessoa muito amável e que uma desilusão amorosa fora a causa de sua infelicidade, isolando-se de tudo e de todos, tendo como consequência, adquirido séria doença neurológica o que o levou à morte.

Nas músicas “A Sombra da Outra” e “Desilusão” retratam de maneira insofismável o gênero de música a que se propôs compor. Está incluso no Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, elevando dessa forma, o nome da cidade de Taubaté, berço de seu nascimento.

 

"A SOMBRA DA OUTRA"   

     

"DESILUSÃO"

 

O compositor Paulo de Freitas foi sepultado em 27/09/1957 no Cemitério de Vila Formosa em São Paulo, mas, anos depois, seus restos mortais foram transladados para Taubaté e sepultados no Jazigo Perpétuo nº 110 da Família Freitas, no Cemitério Municipal. Através da Lei Municipal Nº 4680 de 04 de julho de 2012, teve reconhecida sua prestatividade como munícipe, ao ter como agradecimento do povo taubateano, inscrito seu nome em uma das ruas de Taubaté-SP, localizada no Loteamento Vista Alegre, passando a denominar-se a atual Rua "D" daquela localidade como "Rua Paulo de Freitas - Compositor".

Requiescat in pace, Grande Compositor!

 

 

PROFº GILBERTO DA COSTA FERREIRA - HISTORIADOR, PESQUISADOR E ESCRITOR. COORDENADOR TÉCNICO DO MEMORIAL GENERAL JÚLIO MARCCONDES SALGADO.

cfgilberto@yahoo.com.br

 

Compartilhar essa informação:
Deixe um comentário:
Título:
Comentário:
Nome: E-mail:
 
História, sempre história... | 09/04/2017
Parabéns pela história.
José Carlos Tobias

Uma partida precoce. | 09/04/2017
Também não conhecia essa história. Faleceu tão jovem.
Maria Auxiliadora M. Tupinambá

Nunca é tarde... | 09/04/2017
Vivendo e aprendendo. Nunca tinha ouvido falar deste compositor.
Flávio Marques da Silva

Conhecendo Paulo de Freitas | 09/04/2017
Não conhecia. Parabéns pela publicação.
João Alencar

Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 - Proibida reprodução sem autorização
Desenvolvido por Fábrica5