Visitas do site:
Contador de visitas
Ligue o som do seu computador
JAUREZ HUGO DE SIQUEIRA
   

ESCULTOR E PINTOR.

 

Jaurez Hugo de Siqueira nasceu em Taubaté-SP aos 20 de setembro de 1937, sendo filho de Antonio Hugo de Siqueira e Rosária Alves da Silva. Sempre residente na bucólica Taubaté desde seu nascimento, diz que desde os cinco anos de idade gostava de brincar com barro, com o intuito de, ao final, apresentar algo que pudesse ser reconhecido como escultura, o que de uma forma geral seus trabalhos eram aprovados. Tanto a escultura quanto a pintura, caminhavam lado a lado em sua vida de artista, e sua paixão por ambas tornava suas obras mais belas. Sua infância transcorreu dentro da mais perfeita harmonia, como harmônico eram os dias daquela Taubaté que irradiava tranquilidade e paz.

Aprendeu a gostar de arte quando frequentava os circos que se apresentavam em Taubaté, como  na década de 40, quando assistiu ao número noticiado pelo apresentador em que anunciava a figura maiúscula do cantor Vicente Celestino. Conta que o circo estava armado na Praça Dr. Paula de Toledo, onde hoje se situa a Feira da Barganha, tradicional ponto de encontro dos taubateano aos domingos. São passagens marcantes na vida de um homem em que a arte seria sua companheira definitiva. Estudou apenas o primário, mas o suficiente para entender um pouco mais a vida e preparar-se diante do que supunha enfrentar. Já quase adulto enfrenta mais uma vez bancos escolares, desta vez, direcionados para as artes plásticas. Recebeu ensinamentos com o renomado artista plástico e mundialmente conhecido Anderson de Oliveira Fabiano (1926-1979) em Taubaté, tendo como companheiro de classe José Demétrio da Silva (1940-2011) que mais tarde seria conhecido como o internacionalmente Zé Demétrio, escultor de escol. Em São Paulo, no Liceu de Artes e Ofícios, recebeu ensinamentos do premiadíssimo professor e escultor Vicente Larocca (1892-1963) consagrado no Brasil e no exterior. Escultor versátil, suas artes são detalhadas pela meticulosidade e a quase perfeição com o objetivo proposto.

Paralelamente aos trabalhos artísticos que desenvolvia, Jaurez Hugo de Siqueira ingressa em 10 de maio de 1961 na Força Pública do Estado de São Paulo, atual Polícia Militar. Após brilhante carreira militar na gloriosa Corporação, em 17 de fevereiro de 1983 passou para a inatividade na graduação de 1º Sargento PM, a qual ostenta até os dias atuais. É autor de inúmeras e importantes obras, dentre elas o busto que se encontra na Praça defronte ao Quartel do 5º BPM/I em Taubaté-SP, em homenagem ao General Júlio Marcondes Salgado, herói da Revolução Constitucionalista de 1932 e patrono do mesmo Batalhão, bem como a réplica de Axel de Bismarque, primeiro cão do Canil do 5º Batalhão, que se encontra exposta no Memorial General Júlio Marcondes Salgado.  Suas pinturas a óleo são verdadeiras obras primas, como a de “Tiradentes Ante a Execução"  caminhando para o martírio, exposta no Salão Nobre do CPI/1.

Jaurez Hugo de Siqueira recebeu em toda sua vida artística vários prêmios e elogios, muitos deles perpetuados em sua trajetória militar, como por exemplo, o Elogio Individual do Comandante do 5º Batalhão de Caçadores em 1965: “... por sua decisiva participação nos trabalhos levados a efeito para perpetuar no bronze a memória do ilustre militar, General Júlio Marcondes Salgado, nos festejos comemorativos do 134º aniversário da Força Pública do Estado de São Paulo, contribuindo para que saldássemos uma dívida de gratidão para com o insigne herói constitucionalista”. Os agradecimentos de toda a população Valeparaibana, a você, Jaurez, cujas mãos marcadas pelo barro do tempo, são interpretações de amor que Deus nos deixou.

 

DISCURSO PROFERIDO NO ATO DA INAUGURAÇÃO DO BUSTO DO GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO.

 

Nesta semana de comemorações do aniversário da Força Pública do Estado de São Paulo, desenrolam-se aos nossos olhos e à nossa lembrança, os fatos mais lisonjeiros e fastigiosos da Milícia de Tobias de Aguiar, fatos esses inscritos em sua história de 134 anos. Por todo esse largo período, vem a Força Pública prestando bons e leais serviços ao Estado e ao Brasil.

Na letra da Canção da Milícia, inspirada nesse fastígio encontram-se a síntese de seu passado, já que se estrutura nos cânones da disciplina e cujos objetivos se ombreiam com os mais altos de nossas coirmãs, as Forças Armadas do Brasil, colimadas na constante luta para evitar que a nossa terra seja mergulhada na anarquia e ao comunismo. Nos tempos normais, entrega-se às suas missões de segurança interna do Estado, como entidade que integra a área da Segurança Pública.

Tem, portanto, a nossa Força Pública, razões para colocar aos olhos do povo o sentido mais alto de suas atividades profissionais, e não menos, o de trazer à nossa memória vultos de sua história mais recente, como os da Revolução Constitucionalista. Movimento Cívico e Militar que empolgou o país nos idos de 1932. Entre muitos, houve quem se distinguisse pela fibra de soldado aliada à inteireza de caráter e vibrante idealismo. Trata-se do nosso homenageado, esculpido em bronze, de um trabalho realizado com rara habilidade pelo soldado Jaurez Hugo de Siqueira, do nosso 5º B.P.

Chegado é o momento de saldarmos uma velha dívida de gratidão para com o insigne militar Júlio Marcondes Salgado, ex-comandante desta Unidade e que o espírito reto e justiceiro do Governador Pedro de Toledo, elevou às honras de General da Força Pública do Estado de São Paulo, por decreto memorável. E o fazemos em presença de pessoas ilustres, parte do Batalhão e dos camaradas da reserva e reformados.

Grande foi o entusiasmo dos oficiais e praças do Batalhão, quando lhes expus a ideia de fixar a memória do saudoso General, em bronze, nesta praça. E não faltou o decisivo apoio do Comando Geral da Força, graças ao qual, um propósito se transformou na realidade presente. Não menor foi a receptividade à ideia demonstrada pela ilustre família do extinto, que se transportou até este Quartel, reconhecendo como a autêntico e expressivo o modelo apresentado.

E tudo se completou com a colaboração do Exmo. Sr. Prefeito Municipal e sua brilhante equipe de auxiliares, dotando esta praça de ajardinamento, à altura da civilizada e progressista terra de Jacques Felix. E não menor o apoio da Egrégia Câmara Municipal de Taubaté, na pessoa do ilustre Vereador Edvaldo Cabral de Vasconcelos, autor da propositura.

Aqui ficará a figura ímpar do General Júlio Marcondes Salgado com seu busto instalado em local condigno para receber homenagens outras, vítima que foi de uma experiência com um instrumento de guerra que lhe ceifou a vida, em pleno Comando Geral da Força Pública. Ao Exmo. Sr. Prefeito, fazemos a entrega da obra de arte que imortaliza o bravo militar, certo de que este não só dará nome a mais um gracioso logradouro público, mas, propiciará a que deste ponto elevado, olhando para a Avenida Independência, antiga estrada que viu passar os autores de nossa emancipação política, há de iluminar o nosso caminho, abrindo clareiras pelas quais os pósteros possam executar a marcha para um Brasil forte e democrático.

 

Quartel em Taubaté, 17 de dezembro de 1965.

 

Sebastião Rufino Freire

Ten. Cel. PM. Cmt.

 

..........

 

PROFº GILBERTO DA COSTA FERREIRA - HISTORIADOR, PESQUISADOR E ESCRITOR. COORDENADOR TÉCNICO DO MEMORIAL GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO.

cfgilberto@yahoo.com.br

Compartilhar essa informação:
Deixe um comentário:
Título:
Comentário:
Nome: E-mail:
 
Nota 10. | 02/09/2016
Muito obrigado pela homenagem ao meu pai.
Jason Hugo Ribeiro

Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 - Proibida reprodução sem autorização
Desenvolvido por Fábrica5